Em Campo Bom, oficinas escolares de cultura gaúcha estudam costumes trazidos pelos alemães

Jornal Opinião

Aproveitando a proximidade do aniversário da imigração alemã na região, que é comemorado em 25 de julho, nas oficinas ofertadas no contraturno escolar, o foco tem sido: costumes, hábitos e tradições trazidos pelos alemães. Os professores Diego Moro, Dionatan Martins, Gênifer Engers e Giulia Siebel ministram as aulas para mais de 700 alunos de 1º a 5º anos. Além de participar de atividades lúdicas, os alunos aprenderam sobre a contribuição dos imigrantes para a gastronomia, economia e desenvolvimento local.

Incentivador e amante da cultura gaúcha, o prefeito Luciano Orsi, ressalta a importância das oficinas. “A cultura germânica faz parte das nossas tradições e esse resgate feito nas oficinas ajuda nossas crianças a compreender e valorizar as raízes culturais. Esse trabalho realizado nas escolas incentiva os alunos a tomarem gosto pela cultura rio-grandense”, disse.

As oficinas surgiram de um projeto piloto, criado em 2019, pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura, na Escola Esperança. O objetivo era ampliar a integração dos alunos e professores, que fundamentaram uma experiência mais aprofundada da cultura, explorando hábitos e costumes típicos do dia a dia do gaúcho. Além da história e folclore do Rio Grande do Sul e do tradicionalismo organizado.

A secretária de Educação e Cultura, Simone Schneider, aponta que, devido à pandemia, o projeto precisou de alteração. “Diferente do projeto da dança, que os alunos optavam por participar, o projeto da cultura gaúcha faz parte da carga horária do turno integral, e toda a turma participa”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximo Post

Campo Bom se une para viabilizar e apoiar a construção da ERS-010

O que por muito tempo foi tratado como um sonho campo-bonense, agora pode estar mais perto de se tornar realidade. […]