Estudantes sapiranguenses aprendem sobre as tradições gaúchas no mês Farroupilha

Jornal Opinião

Em Sapiranga a questão da cultura gaúcha é trabalhada desde cedo nas salas de aula. Assim como diz o Hino Riograndense “Mostremos, valor constância…”, o Plano Lúdico Didático foi criado com o objetivo de transmitir aos alunos de maternal ao 9º ano das escolas municipais conhecimentos sobre os principais pontos que norteiam a cultura gaúcha, através da parceria entre a Secretaria Municipal de Educação (SMED) e o Centro de Tradição Gaúcha (CTG) Desgarrados da Querência.
“O projeto foi apresentado para SMED e encaminhado às escolas com a finalidade de permanecer aceso o tradicionalismo nos alunos. Neste ano, levando a cultura gaúcha para dentro das escolas através da visita do Vinício, representante do CTG Desgarrados da Querência”, explica a supervisora pedagógica Letícia Kern.



A proposta ainda inclui palestras sobre culinária, lendas, danças, vestimentas da cultura gaúcha, atividades práticas e a disponibilização de um e-book com todos esses assuntos. “O projeto foi ofertado às escolas municipais de educação infantil e ensino fundamental, estaduais e particulares e a ideia foi aceita com entusiasmo, pois é uma proposta diferente do que foi sugerida em anos anteriores e a escola pode optar por qual assunto trabalhar com as diversas faixas etárias”, completa Letícia.

Na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) São Carlos a sugestão de levar conhecimento sobre a cultura dos pampas em clima de descontração aconteceu com uma gincana coordenada por Vinício Moreira, do CTG Desgarrados da Querência, nesta manhã de terça-feira. “O projeto foi pensado a questão da cultura, ensinar a tradição dentro das escolas. A abordagem é lúdica e didática para alcançar um número maior de crianças.”

Escolas interessadas em participar do projeto preenchem um formulário fornecido pelo mentor Moreira que depois é encaminhado para SMED. “Feita a inscrição, começa o processo de entrevistas com as escolas para definir as temáticas que gostariam de abordar em sala de aula. Feito isso, montamos o plano com o conteúdo escolhido”, acrescenta Vinício que também está trabalhando para lançar seu livro impresso. “A partir disso, montei um livro que aborda toda temática do Rio Grande do Sul (a história, a geografia, o folclore, o tradicionalismo) para os professores utilizarem durante o ano letivo. Todas as escolas participantes do projeto já possuem o arquivo PDF e agora estou trabalhando para fazer o livro impresso.”


Oficinas

Estimular, instigar e induzir os alunos à prática dos costumes regionais é um dos pontos específicos do Plano de Aplicação Lúdico, assim como também realizar atividades sobre os Festejos Farroupilha deste ano. “Dependendo da faixa etária ou ano escolar a gente aborda um tema. Ontem, para os pequenos, fiz uma contagem sobre lendas gaúchas. Falei do quero-quero, ave típica da região, e fiz uma oficina com materiais (como a casca de ovo) para trabalhar a questão do relevo e sentir as texturas. Na semana anterior realizamos um trabalho com as crianças das escolas do Morro Ferrabraz sobre as ervas. Para os maiores realizamos gincanas abordando a temática cultural no Rio Grande do Sul a fim de desenvolver o raciocínio dos adolescentes e também para que aprendam mais sobre o assunto”, finaliza Vinício.

De acordo com Vinício, o contato inicial aconteceu com a Secretaria de Cultura e o projeto foi adotado pela Secretaria de Educação. “A Cultura fez a intermediação entre a Secretaria de Educação e o CTG. A abordagem do projeto é para todo o mês Farroupilha e segue ao longo do ano. Nós, tradicionalistas dos CTGs, aprendemos que somos gaúchos o ano inteiro. Então, a gente quer levar isso para as escolas.”


Estudantes aprovam as atividades

Os alunos da EMEF São Carlos aprovaram as atividades do projeto que tem como objetivo estimular, instigar e induzir os alunos a prática dos costumes regionais. “Eu gostei da gincana. Achei bem legal! Aprendi sobre a obesidade nas crianças e que a gente tem que comer coisas saudáveis. A gente foi bem na competição e fizemos bastante pontos. Em casa vou contar que aprendi que a gente não pode comer muita coisa que não faz bem para a saúde”, disse Livia Marks Peloski, de 9 anos e aluna do 4º ano.

A estudante de 13 anos e do 8º ano, Eduarda Cristina da Rosa acredita que a participação dos alunos é muito importante para fortalecer a história e cultura do Rio Grande do Sul. “Achei muito legal a participação do Vini mostrando pra gente a importância da cultura gaúcha através da gincana.”

Já o Marcos Augusto dos Santos, também tem 13 anos e aluno do 8º ano, considera o projeto interessante e divertido. “É importante para todo mundo saber a cultura do nosso Estado. E a gincana é uma forma divertida de aprender.”

Para a diretora Andreza Haag, tornar o ambiente mais descontraído, através da participação do peão Vinício, entusiasmou os estudantes.“As atividades foram interativas e criativas o que incentivou a participação ativa dos alunos. A comunidade da Escola São Carlos é muito envolvida com a nossa cultura, e o projeto do CTG Desgarrados da Querência vem fomentar ainda mais esta curiosidade por nossas tradições.” Andreza ainda destaca que o projeto de Aplicação Lúdico vai ao encontro dos interesses da escola. “Foi muito bom receber este projeto na escola, pois trouxe muitos conhecimentos sobre a nossa cultura, tradição e história, enriquecendo o trabalho já desenvolvido pelos nossos docentes.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximo Post

Biblioteca Pública e Assistência Social desenvolvem projeto de leitura para idosos dos Grupos de Convivência

Despertar o prazer pela leitura e estimular a convivência familiar são os principais objetivos do projeto Sacola da Leitura, uma […]