Ocupação de UTIs se mantém abaixo dos 80% nos últimos 60 dias

Jornal Opinião

Nos últimos dois meses da pandemia do novo coronavírus, a taxa de ocupação de leitos de UTI Adulto no Rio Grande do Sul se manteve estável, não passando da casa dos 80%. Conforme o sistema de monitoramento de leitos da Secretaria da Saúde do Estado (SES), nos últimos 60 dias, as taxas oscilaram entre a mais baixa, de 68,8% em 28 de junho, e a mais alta até agora, de 78,3 %, na sexta-feira passada, 14 de agosto. Os leitos de UTI monitorados atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e pela rede privada.

Conforme o mapa de leitos da SES (https://covid.saude.rs.gov.br/), a rede hospitalar do Estado dispõe, até a tarde desta segunda-feira (17), de um total de 2.481 leitos de UTI adulto onde estão internados 1.920 pacientes, representando uma taxa de 77,4% de ocupação. Dos pacientes internados nas UTIs do RS, 736 são confirmados com a Covid-19 e 235, suspeitos de portarem a doença.
Na opinião da diretora do Departamento de Atenção Hospitalar e Ambulatorial (DAHA), Lisiane Fagundes, este índice mostra que, “mesmo que o número de internações em UTI de pacientes suspeitos ou confirmados com a Covid-19 tenha praticamente triplicado neste período, com a ampliação do número de leitos em todas as regiões, foi possível manter a taxa sob controle”.
De acordo com a diretora, esses índices resultam do trabalho desenvolvido pelo Governo do Estado desde março de 2020. “Diante da situação de emergência e calamidade pública decretada pelo governador Eduardo Leite, elaboramos o plano de contingência hospitalar, junto com a implementação do modelo de distanciamento controlado”, afirmou Lisiane.
Desde o início da pandemia, o Estado já aumento em 90% o número de leitos de UTI SUS (de 933 para 1.765 leitos). A meta é chegar a 1.909 leitos de UTI habilitados pelo Ministério da Saúde, representando um aumento de 105% na capacidade instalada de vagas pelo SUS no Estado.
Entre leitos de UTI das redes pública e privada, nos últimos dois meses o crescimento foi de 23% (de 2.014 para 2.481).
A diretora Lisiane Fagundes diz, que mesmo com o esforço do poder público nas três esferas e com as parcerias com a iniciativa privada na ampliação da rede hospitalar, é importante que a população continue com os cuidados necessários de prevenção ao contágio ao coronavírus, evitando aglomeração, usando máscaras, lavando bem as mãos e seguindo as medidas de etiqueta respiratória.

Next Post

Sistema facilita registro de casos suspeitos de Covid-19 no trabalho

Um sistema para notificação de sintomas gripais em trabalhadores do setor empresarial, do comércio e de serviços foi disponibilizado pela […]