Cardiosinos inova no tratamento de cardiopatias

Jornal Opinião
A Cardiosinos fica localizada no Hospital Regina e atua há 20 anos como laboratório de hemodinâmica de referência no Vale dos Sinos. 

O nome pode parecer confuso, mas os benefícios da Tomografia de Coerência Óptica Intracoronária (OCT) são inúmeros quando falamos de sucesso e precisão em procedimentos cardíacos. Trata-se de uma tecnologia única no Vale dos Sinos oferecida pela Cardiosinos, empresa parceira e responsável pelos atendimentos cardiológicos do Hospital Regina. Na última semana, os profissionais realizaram o treinamento para o manuseio e familiaridade com o método de imagem, ministrado pelo Cardiologista Intervencionista Daniel Chamié, do Instituto Dante Pazzanese de São Paulo, referência no país.

A Cardiosinos já contava em seus serviços com o equipamento, sendo realizada a atualização do software para a tecnologia 3D, que permite analisar o interior do vaso sanguíneo com uma qualidade muito alta a fim de identificar o grau e extensão das obstruções dos vasos. “Uma circulação coronariana não é reta, ela é como uma árvore, em que os galhos crescem para todos os lados e às vezes tortos. Então, essa tomografia nos permite analisar o interior da circulação e a melhor maneira de tratar”, explica o Cardiologista Intervencionista da Cardiosinos Rogério Sarmento Leite.

Além de permitir uma precisão muito maior ao profissional no momento do procedimento, a OCT também traz muitos benefícios aos pacientes, visto que permite a identificação exata do local e tamanho da obstrução no vaso sanguíneo. “De uma maneira geral, a imagem permite uma avaliação melhor do entupimento e principalmente o monitoramento do resultado depois de colocar o stent, por exemplo, antes de finalizar o procedimento, o que faz toda a diferença”, avalia Renato Roese Filho, Cardiologista Intervencionista da empresa.

Em um momento em que se reforça tanto a medicina de precisão, com a OCT é possível planejar de forma individualizada o tratamento para cada paciente e suas particularidades. “Essa ferramenta nos dá imagens com resoluções nunca vistas antes, então fazemos o melhor procedimento que poderíamos fazer. Vemos como isso mudou o tratamento, pois a resolução da angiografia ajuda, mas não traz tanta qualidade de imagem”, completa Chamié.

Next Post

Sistema do TSE trava e atrasa apuração dos votos

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou neste domingo, 15, que problemas técnicos atrapalharam o sistema central de apuração, o que […]