Existe uma depressão ligada à pandemia: estudo examinou efeito dela

Jornal Opinião

Um recente estudo realizado nos Estados Unidos descobriu que existe uma depressão diretamente ligada à pandemia e apontou as principais causas e efeitos dela. Os dados foram publicados no dia 10 de fevereiro de 2021 pelo Proceedings of the National Academy of Sciences.

De acordo com os pesquisadores, 61% dos 682 estudantes universitários que participaram do levantamento corriam o risco de depressão clínica, um valor duas vezes maior que a taxa anterior à pandemia.

Esse aumento da depressão, segundo os estudiosos, veio acompanhado por mudanças dramáticas nos hábitos de vida, como alterações no sono e na rotina de atividades físicas.

Falta de exercícios aumentou depressão na pandemia

As interrupções na atividade física surgiram como um dos principais fatores de risco para depressão durante a pandemia, de acordo com o trabalho científico.

Os resultados do levantamento mostraram que as pessoas que mantiveram seus hábitos de exercício correram um risco significativamente menor do que aquelas que experimentaram grandes declínios na atividade física durante a quarentena.

A equipe descobriu ainda que os participantes que mantinham hábitos saudáveis antes da pandemia corriam um risco maior de depressão à medida que o isolamento se estendia. Os pesquisadores, portanto, apontam o declínio da atividade física como o principal fator de risco para a diminuição da saúde mental.

Fonte: Vix Saúde

Next Post

Escolas da rede municipal recebem mais de 1,8 mil livros de literatura infantil e infanto-juvenil

Além das obras literárias, instituições ganham 870 novos dicionários de Língua Portuguesa. Investimento da Administração passa dos R$ 100 mil […]