SAPIRANGA 66 ANOS – O Ontem e o Hoje

Jornal Opinião

MORRO FERRABRAZ

Vista do Morro Ferrabraz na década 60
Hoje: Vista do Morro Ferrabraz nos dias atuais

O Morro Ferrabraz, cartão postal de Sapiranga é formado por rochas de origem vulcânica e sedimentar, e sua altitude chega a 779 metros.

Com a necessidade de oficializar a preservação do Morro Ferrabraz, com toda sua rica fauna e flora, foi criada a lei municipal número 1.400/87, que o colocou como patrimônio natural, área especial de preservação de interesse histórico e turístico. Em 2016, buscando ampliar a proteção à chamada Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE) do Morro Ferrabraz, com 5.876 hectares, foi criada a Lei Municipal 5.900/2016.


O Ferrabraz é referência do Município, constando em destaque no brasão da cidade. A prática de voo livre, que teve seu incremento na década de 1970, impulsionou a área para o turismo (o acesso ao topo é por estrada de chão batido e necessita de cuidados especiais por parte dos motoristas tanto na subida quanto na descida). Asas deltas e paragliders decolam das duas rampas instaladas em dois níveis diferentes, e mantidas sob a responsabilidade da Associação Gaúcha de Voo Livre (AGVL).

O mountain bike é outra prática esportiva comum no morro, assim como as caminhadas. O pôr do sol no morro atrai dezenas de pessoas. Na segunda metade do século 19, o Ferrabraz foi marcado pela batalha dos Mucker.

PEDRA BRANCA

Construção da estrada para
o Morro Ferrabraz.
Hoje: Estrada Morro Ferrabraz na altura da Pedra Branca, atualmente

A Pedra Branca fica no trecho inicial em uma curva da estrada que leva ao topo do Morro Ferrabraz e é parada obrigatória para os turistas. Praticantes de esportes radicais se aventuram em escaladas no local (lá no alto há uma caverna/toca na qual os seguidores de Jacobina teriam se instalado para avistar quem chegava, em uma espécie de “torre de controle” durante a Revolta dos Mucker). O acesso pelo mato, onde foi construída uma escadaria, atualmente está fechado.


Alunos da Escola Evangélica Duque de Caxias, em frente à casa pastoral.
Hoje: Instituto Sinodal (Escola Duque), na Rua Pastor Dietsch esquina com a
Av. João Corrêa, Centro.
Construção do Palácio dos Esportes na Rua São Pedro
Hoje: Palácio dos Esportes atualmente
Rua Carlos Biehl, Centro, na década de 70.
O automóvel está em frente à antiga Loja Michels.
Hoje: O prédio, que foi também sede da Casa Jacobs, hoje
se encontra um estacionamento
À esquerda: Na Rua São Pedro esquina com a Rua 15 de Novembro,
Centro, a antiga Casa Oscar Konrath, bazar e loja de ferragens.
Hoje: Após a demolição, um novo prédio foi construído no local
A antiga loja Schutz & Cia Ltda, na Rua Major Bento Alves, bairro Amaral
Ribeiro, vendia tecidos, alimentos, ferramentas e miudezas em geral.
Hoje: No lugar do antigo prédio, foi construído um novo que abriga uma
indústria.

Av. João Corrêa, Centro, na década de 1970. O prédio era sede da empresa
Mecânica e Industrial Bohrer.
Hoje: O prédio ainda existe, com algumas modificações.
Em 1941, na Av. 20 de Setembro, esquina Rua Duque de Caxias, Centro, o Café Imperial e
Armazém de Secos e Molhados de Bertholdo Kautzmann, localizava-se em frente à Estação Férrea.
Hoje: O prédio, foi reformado e locado para comércios.
Na Rua São Pedro, Centro, o prédio onde ficava a antiga
Estação Rodoviária e o Bar La Paloma.
Hoje: O mesmo prédio, com pequenas modificações é ocupado por lojas.

Em 1918, na Rua 28 de Fevereiro, Centro, funcionava a Marcenaria e Carpintaria a vapor de Reinaldo Petry & Irmãos
Hoje: O prédio foi reformado e locado para comércio.
Avenida João Corrêa, esquina Rua 1º de Maio, Centro. Capela Católica e casas
das famílias Leist e Deuner.
Hoje: No local da capela está a Escola Imaculado Coração. As casas estão em
frente ao Planeta Calçados.
Rua São Pedro. Farmácia Droga-Rei, com a razão social Reich & Cia Ltda, de
propriedade de Guinther Reich.
Hoje: O prédio foi reformado e locado para lojas.
O antigo Hotel R. Heller na Avenida João Corrêa, Centro.
Hoje: No local situa-se a Prefeitura Municipal de Sapiranga.
Em 1954, todos os alunos do antigo Colégio das Irmãs, com a diretora Irmã
Paula e as professoras Irmã Cláudia, Nelcy Jaeger Schoenardie e Diva Morbach.
Hoje: A mesma escola passou a chamar-se Escola Imaculado Coração de Maria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximo Post

Leite invoca unidade e adesão à bandeira preta para RS "rapidamente voltar a restrições menores"

Governador reconheceu as aflições de comerciantes e empresários, mas apontou que, embora os protocolos adotados até então por empresas tenham […]