Produção de lavanda é fonte rentável para produtor sapiranguense

Jornal Opinião

Na propriedade rural de Sérgio Schneider, a natureza exuberante encanta e desperta a sensação de prazer e bem-estar. O sentimento é ainda mais intenso para quem caminhar pela plantação de lavanda e sentir o aroma doce das flores. Na manhã de quarta-feira, 28, trabalhadores rurais realizaram a primeira colheita de lavanda, que vai virar óleo essencial. Schneider reservou 1,5 hectares para a produção da planta revelando um cenário de cor roxa com o céu azul do morro. O produtor da localidade de Picada dos Nabos, no Morro Ferrabraz, é pioneiro em produção de lavanda em Sapiranga.
“O projeto é triplicar o tamanho ainda neste ano. Atualmente são em torno de 7 a 8 mil mudas, mas vamos ampliar para 20 a 25 mil. A lavanda se adaptou muito bem aqui, o clima é muito bom, o solo é bom”, destaca Schneider.
Apesar da produção de Lavanda dentata estar em fase introdutória na propriedade a expectativa de bons negócios é grande. “Iniciei o plantio com 200 mudas e depois aumentei para 5 mil. Agora vou fazer um investimento maior. A ideia é construir um lavandário e trabalhar na cadeia produtiva.”

O COMEÇO
Tudo começou pela apicultura. Apaixonado por abelhas, Sérgio Schneider se dedicou a produzir mel de qualidade e nesse sentido trabalhou o solo da propriedade livre de produtos químicos. Para aumentar a quantidade de colmeias era necessário que o sítio tivesse abundantes floradas que as abelhas pudessem se alimentar. “Aqui, a lavanda floresce o ano todo e atraem as abelhas”, comemora o produtor. “A minha ideia com esse plantio era atender cerca de 50 colmeias que possuo. A partir de uma visita da Emater Sapiranga recebi a informação que poderia ganhar dinheiro colhendo a lavanda, pois quanto mais se corta a planta, mais ela brota. Estou encantado com a lavanda, pois ela atende minhas necessidades com as abelhas e agora também com a finalidade dos óleos essenciais.”

DICAS PARA PRODUZIR
Através da indicação feita pela Secretaria Municipal de Agricultura, por meio da Emater Sapiranga, Sérgio Schneider teve encontro com Ari Closs, da cidade de Morro Reuter, que é hoje o maior produtor de lavanda do Rio Grande do Sul, para troca de experiência entre produtores. “A Emater sempre vem contribuindo e também sempre estamos em contato com o secretário de Agricultura, Valdes Cavalheiro de Araújo. A nossa ideia é incrementar a produção de lavanda”, afirma Schneider.

ECOTURISMO
Vista e local espetacular, o sítio de 12 hectares possui um espaço preservado dentro da mata virgem, com uma cascata.“Outra ideia é fazer um espaço para receber turistas. A lavanda também tem a característica. Por exemplo, na França, pelos Pirineus, onde a lavanda é cultivada atrai muitos turistas e aqui no Brasil também, devido a sua beleza e aroma. A propriedade ainda não está aberta para visitação, algo que acontecerá no futuro.” O objetivo é que as pessoas visitem a plantação e aproveitem a natureza local.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximo Post

Aulas presenciais da Educação Infantil até o 5º ano do Ensino Fundamental retornam na próxima segunda-feira (3) em Campo Bom

O sistema híbrido de ensino vai voltar a vigorar em Campo Bom a partir da próxima semana. Na segunda-feira, 3 […]