Unidade de saúde que dá suporte ao Hospital Lauro Reus volta a funcionar em horário regular

Jornal Opinião

A unidade de saúde Paulista, que desde março funciona como retaguarda do Hospital Lauro Reus para atendimentos clínicos, cujos pacientes não têm sintomas de Covid, voltou a funcionar em horário regular, atendendo somente durante a semana. Portanto, a unidade não abrirá mais aos finais de semana e nestes dias os pacientes que buscarem atendimento devem se dirigir ao Hospital Lauro Reus. “Essa mudança foi possível graças a uma queda considerável que atingimos nos números de contaminados e de internações por Covid. Isso fica visível até mesmo nos boletins epidemiológicos, que são divulgados diariamente. Em 17 de março, mês que foi feita a mudança, tínhamos 72 confirmados. Enquanto hoje, 17 de maio, esse número reduziu para 23”, aponta o prefeito Luciano Orsi. 

A UBS Celeste, que também tem dado suporte ao hospital no atendimento de casos respiratórios pediátricos, se manterá desta forma, com atendimento de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h, sem fechar ao meio-dia. “Além do hospital, as crianças com sintomas mais leves suspeitas de Covid têm à disposição a UBS Celeste. Para as demais causas, que não sejam respiratórias, deve-se procurar a unidade de seu bairro nos dias úteis, ou hospital, no fim de semana”, explica o secretário de Saúde, João Paulo Berkembrock.

Como fica o funcionamento

– UNIDADE PAULISTA 

Atendimentos clínicos para sintomas não gripais: de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h, sem fechar ao meio-dia. 

– UNIDADE CELESTE

Crianças de zero a 12 anos, com síndromes gripais/respiratórios: de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h, sem fechar ao meio-dia.

Telemedicina Campo Bom segue à disposição da comunidade

Buscando diminuir a circulação de pessoas nos espaços de saúde e, consequentemente, os riscos de contágio, a Prefeitura segue recomendando que a comunidade utilize a telemedicina. O serviço atende de forma gratuita no 0800 772 8989 e no WhatsApp (51) 99615-3914. Ao entrar em contato, o paciente é atendido por um enfermeiro supervisionado por médico. A pessoa precisa se identificar, informar nome completo, CPF, data de nascimento e número do Cartão Nacional de Saúde (CNS). Após a identificação, deve descrever seus sintomas e, de acordo com seu relato, será incluída no protocolo correspondente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximo Post

Lomba da Brasil voltará a ter controlador de velocidade

O trânsito na descida da Avenida Brasil, no sentido Campo Bom/Novo Hamburgo, no bairro Imigrante, voltará a ser controlado por […]