Nos primeiros cinco meses do ano, Campo Bom apresenta crescimento de 20% no número de atendimentos do CAPS

Jornal Opinião

Um dos inúmeros problemas decorrentes da pandemia do coronavírus, observado em todo o mundo, foi o agravamento dos transtornos psicológicos. Em Campo Bom, o Município precisou adaptar seu serviço de saúde mental, investindo em maior número de acolhimentos. Nos primeiros cinco meses de 2021, o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) da cidade apresentou crescimento de 20% no número de atendimentos psicológicos e psiquiátricos, comparado ao mesmo período do ano passado. O aumento se deve a quantidade de novos usuários encaminhados pelas unidades de saúde. 

Entre as principais queixas relatadas pelos pacientes neste período, a enfermeira coordenadora do CAPS, Loise Adriane França de Lima, aponta que são as perdas, de forma geral. “Os desgastes emocionais, o luto em relação à Covid e as perdas de emprego e de relacionamentos estão sendo os tópicos mais relatados”, afirma. 

Promovendo um acolhimento adequado a estes pacientes, o CAPS realiza cerca de 1,5 mil atendimentos mensais, entre consultas psicológicas e psiquiátricas, terapia de grupo, oficinas terapêuticas e atividades envolvendo artesanato e música. O prefeito Luciano Orsi reforça que hoje se pensa na saúde integral, a visão do homem e da mulher num todo. “Devemos sempre destinar um olhar especial à saúde psicológica, e nesse contexto pandêmico que estamos vivendo, torna-se essencial reforçarmos esse cuidado, a fim de seguirmos enfrentando as adversidades de forma saudável e, além de tudo, nos sentirmos bem”, aponta. 

As consultas não pararam em nenhum momento durante a pandemia, conforme lembra o secretário da Saúde João Paulo Berkembrock. “Começamos a prestar o serviço de forma on-line, com videochamadas individuais. Com o passar do tempo e a boa aceitação dos usuários, passamos a realizar a terapia comunitária, também por videochamada”, explica. Ele recorda que alguns atendimentos, principalmente às crianças, permaneceram no formato presencial, devido à dificuldade de adaptação às novas ferramentas. “Continuamos seguindo os cuidados sanitários para garantir a proteção do paciente e do profissional”. 

O serviço conta com psiquiatras, médicos clínicos, psicólogos, enfermeiros, assistentes sociais, musicoterapeuta e arteterapeuta. Além disso, desde junho o serviço tem a parceria da Universidade Feevale, que disponibiliza atendimentos psiquiátricos ao Município.

Serviço

O CAPS está localizado na Rua Araújo Lima, 180 – Bairro Bela Vista

Fone: 3585-1644 

Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h

Se você sentir necessidade de atendimentos no CAPS, procure a unidade de saúde mais próxima, os profissionais farão o encaminhamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximo Post

A Secretaria de Obras e Serviços Urbanos está trabalhando arduamente para deixar a cidade de Sapiranga limpa e bela!

Os servidores de Sapiranga estão realizando serviços de limpeza das vias, recolhimento de resíduos, consertos gerais e capina dos canteiros […]