Educação lança livro que conta as memórias dos bairros de Campo Bom

Jornal Opinião

“Costurando Memórias leva o leitor a lugares diversos, como escolas, praças, campos, casas, igrejas, por meio das memórias de pessoas que fazem parte da história do município, memórias da infância, da adolescência, dos amigos, familiares, simplesmente lindas memórias”, assim a secretária de Educação e Cultura inicia o prefácio do livro elaborado por sua pasta. “Costurando memórias dos bairros: narrativas sobre Campo Bom” foi apresentado na noite desta terça-feira (29), a autoridades e convidados no teatro do Complexo Cultural CEI.

O prefeito Luciano Orsi disse estar emocionado e muito orgulhoso pelo lançamento do livro que contribui com a construção da história do município. “Sinto orgulho de hoje estar prefeito de uma cidade com pessoas tão qualificadas, determinadas e a disposição para se doar e fazer um trabalho belíssimo como esse”, disse o prefeito agradecendo a todos que cooperaram para a execução da obra.

Para a secretária Simone Schneider, a conclusão desse trabalho é motivo de grande alegria. Segundo ela, resgatar memórias da comunidade foi algo trabalhoso, que exigiu muita sensibilidade da comissão encarregada de sua confecção, e o resultado foi muito positivo. “Nossa obra criou vida ligando pontos, vivências, lembranças, pedaços de um todo, formando uma linda história. São recordações de um tempo que não volta”, ressaltou a secretária.

Também integraram a mesa da solenidade de lançamento do livro, a vereadora Gênifer Engers, representando a presidência da Câmara Municipal; o professor e historiador Daniel Gevehr, que foi o orientador do trabalho; Márcia Tornin, coordenadora do projeto; e Simone Aparecida dos Reis, representando a comissão encarregada da execução da obra. Evento contou também com as presenças da primeira dama Kátia Palmeiro Orsi, o vice-prefeito Paulo Gomes, secretários municipais, vereadores, entre outros convidados especiais.

O livro, inicialmente foi projetado com 250 páginas, mas tamanha a riqueza dos relatos, acabou com 272. Ao todo, mais de 200 pessoas que moram há bastante tempo na cidade foram entrevistadas pela equipe da Secretaria Municipal de Educação e Cultura. Márcia Tornin ressaltou que a obra é repleta de estórias engraçadas, curiosas ou acontecimentos históricos.

Dividido por bairros, o livro conta com diversos tipos de narrativas, sendo que seu grande diferencial é que os próprios moradores dão voz aos acontecimentos, através de suas lembranças e vivências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximo Post

Sapiranga foca no desenvolvimento local da inovação em parceria com Sebrae

Ações inovadoras estão cada vez mais presentes e sendo incentivadas em Sapiranga. Visando a capacitação dos seus servidores, assim como […]