Brigada Militar deflagrou quarta fase da Operação Hoplitas

Jornal Opinião

A operação foi realizada em 236 municípios do estado conforme priorização da inteligência, onde foram abordadas 5.626 pessoas; 678  pessoas foram presas, dentre estes, 45 eram foragidos e 34 eram menores de idade.

Durante os três dias de Operação, os policiais militares atenderam no total 782 ocorrências policiais com 952 pessoas envolvidas.

A “Hoplitas” fiscalizou 57 estabelecimentos, 2.333 veículos e retirou de circulação 26 armas de fogo, além de 31 armas brancas e 944 munições. Durante as ações foram apreendidos, em moeda, R$41.566,90 e cerca de 65 kg de drogas variadas foram apreendidas.

Ao longo da operação foram empregados 2.273 policiais militares e 617 viaturas dos 16 Comandos Regionais, Comandos de Policiamento da Capital (CPC) e Metropolitano (CPM), com apoio dos comandos especializados (Ambiental, Rodoviário e de Choque), além do apoio de 37 agentes e 16 viaturas de outros órgãos.

Alguns Resultados da Operação:

Na tarde última sexta-feira, dia 16, uma guarnição da Brigada Militar foi deslocada juntamente com uma equipe da Polícia Civil até a RS 239, em Taquara, para verificar uma denúncia de que havia veículos roubados no interior de um galpão.

No local foi detido um casal, uma mulher de 38 anos e homem de 27 anos, o qual estava sob regime semiaberto, e recuperados três veículos, os quais estavam com placas clonadas após furto. Um dos veículos encontrava-se com revestimento artesanal de blindagem com placas de chapa de aço, as quais continham buracos que acomodariam armas longas.

Cabe ressaltar que a utilização desse tipo de veículo, “caveirão da morte”, comumente é utilizado em assaltos a bancos, onde os indivíduos necessitam de veículos “preparados” para o confronto policial.

Diante do fato, foi dado voz de prisão ao casal e recuperados os três veículos, registrados na Delegacia de Taquara.

Compreenda a Operação Hoplitas:

Vocacionada ao enfrentamento de delitos violentos cujos índices são tabulados no contexto do Programa RS Seguro, a Operação Hoplitas foi concebida pelo Comando-Geral da instituição com o fim de reduzir o número de homicídios, latrocínios e crimes contra o patrimônio em locais e faixas de horário especialmente selecionados a partir de análise criminal.

Para realizar a Operação, a Brigada Militar lançou na atividade de policiamento ostensivo recursos humanos ordinariamente utilizados em demandas administrativas. Também reforçaram a operação militares estaduais da Força Tática dos Batalhões de Polícia Militar com responsabilidade territorial, das unidades de Polícia de Choque, do Batalhão de Aviação e do Batalhão de Operações Especiais.

O nome da operação remete a uma classe especial de soldados da Grécia antiga que, de posse de escudos chamados “hóplon”, foram referências no combate de infantaria de seu tempo. Notabilizados pela disciplina, espírito de corpo e elevado grau de treinamento, os hoplitas simbolizam o espírito guerreiro de uma tropa no enfrentamento de quaisquer adversidades, lutando lado a lado para formar uma linha em defesa de seu povo.

Com essa inspiração, a Brigada Militar organiza mais uma ação em prol da sociedade gaúcha contra a criminalidade para propiciar maior tranquilidade e segurança.

Fonte: https://www.bm.rs.gov.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximo Post

Tá rolando vacinação para pessoas com 34 anos ou mais lá na Vigilância Epidemiológica em Nova Hartz

Hoje, (19/07), pessoas com 34 anos ou mais estão sendo vacinadas contra o coronavírus na Vigilância Epidemiológica, em frente ao […]