Educação Financeira faz parte da rotina dos estudantes nas salas de aula em Sapiranga

Jornal Opinião

A Secretaria Municipal de Educação (Smed) está trabalhando desde o ano passado o tema Educação Financeira nas escolas municipais, com o objetivo de construir com os alunos a organização de suas finanças no futuro, o valor do dinheiro, consumo consciente e planejamento. Esse é um tema transversal e contemporâneo que faz parte da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), utilizada como referencial curricular. A temática é aplicada em todos os componentes curriculares, desde os primeiros anos do Ensino Fundamental até o Ensino Médio.

Responsável pelo projeto, a supervisora pedagógica da Smed, Nathalia Sabina da Silva, destaca que a educação financeira é essencial para a formação do estudante. “Este é só o início, ainda estamos caminhando nesse processo de inserir a temática. Antes, a educação financeira estava muito ligada à matemática, mas, hoje, sabemos que ela abrange outros componentes”, explicou. 

O projeto 

Em 2021, a Smed firmou parceria com o Instituto Brasil Solidário (IBS), quando foi oferecida uma capacitação de Educação Financeira para dez professores da rede municipal. No mesmo ano, estes educadores já iniciaram o trabalho com os alunos. Dentre eles, estava a professora de geografia da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) La Salle, Vanderlize San Martins de Lima, que acredita na forma lúdica de apresentar a temática. “Acredito que jogos ajudem a trabalhar com questões da realidade do aluno, que vai conseguir assimilar um pouco mais sobre o quê está vivenciando ali”, resumiu. 

Além disso, Vanderlize comenta sobre a oportunidade que as crianças adquirem ao levar consigo uma bagagem de aprendizado para a vida e seu dia a dia. O objetivo principal da professora é plantar uma sementinha em cada aluno, para que eles não se tornem adultos com problemas financeiros. “A geração deles é uma geração que pode se tornar endividada pela facilidade de crédito que se têm hoje”, completa. 

Os materiais pedagógicos fornecidos pelo IBS aos professores são utilizados em todas as escolas da rede nessas dinâmicas. Tratam-se de dois jogos para alunos do 1º ao 5º ano e do 6º ao 9º ano. A estudante do 7º ano da La Salle, Victoria Garcia, 12 anos, adora participar das atividades. “Sei que no futuro, vou saber como administrar o meu dinheiro. Também converso bastante com a minha família sobre comprar algo que quero, o que posso e onde podemos economizar”, comentou. Seu colega, Matheus Silveira Markus, 12, acredita que os conhecimentos adquiridos serão utilizados quando ele ingressar no mercado de trabalho. “A gente joga bastante, mas, ao mesmo tempo, falamos como pode ser no futuro”, destacou. 

Capacitação

Desde o dia 28 de março está acontecendo a 2ª Edição da Capacitação em Educação Financeira, proporcionada para 31 professores da rede municipal. A proposta conta com aulas online com uma duração de três meses. A professora de matemática da Emef Waldemar Carlos Jaeger, Cléia Schneider, é presidente do Conselho Municipal de Educação e participa da capacitação. “Pude ver pontos positivos e relevantes do projeto de Educação Financeira que teve um questionamento de partida: ‘vamos falar de dinheiro?’”, explicou. A partir desta pergunta, ela iniciou uma roda de conversa com os alunos, pontuando alguns princípios da Educação Financeira, como honrar com as despesas; ter as finanças sob controle; planejar o futuro e fazer escolhas assertivas de produtos financeiros.

Conforme a professora, desta forma os participantes são encorajados a relatarem suas experiências. “Lista para ir ao supermercado, economia de luz e água, consumismo, aposentadoria de familiares, planejamento financeiro, despesas mensais, poupança, cartão de crédito, trabalho, salário e sonhos. Eles adoraram jogar. Assim eles concluem que é importante ter uma alimentação saudável, o consumo consciente e o cuidado com decisões por impulso, por exemplo”, descreveu Cléia.

Com este projeto, o principal objetivo é a educação para a vida. “A gente quer mostrar que é importante o planejamento dos gastos para poupar e construir seus sonhos”, finalizou a responsável pelo projeto, Nathalia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Próximo Post

Prefeitura faz o recolhimento de inservíveis para evitar focos do mosquito da dengue

A fim de evitar criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, a Secretaria Municipal de Saúde, que conta também […]