Feira do Agricultor comercializa 191 toneladas de alimentos no primeiro semestre de 2021

Jornal Opinião

A Feira Municipal do Agricultor está entre os principais programas de incentivo ao produtor rural de Sapiranga. Apoio que a cada ano resulta em mais vendas e melhora o contato direto dos agricultores com o consumidor. Somente no primeiro semestre de 2021, foram 191 toneladas de alimentos comercializados. Semanalmente, às quartas-feiras e sábados, durante a manhã, 37 produtores rurais da cidade oferecem seus produtos, que vão desde pães, bolos e cucas, a ovos, frutas, verduras, carvão, mel, queijo, banha, carne suína e embutidos.

Investimento constante para aumentar a produção e o faturamento do produtor

Graças ao apoio da Administração Municipal, através da Secretaria de Agricultura, a zona rural de Sapiranga vive hoje uma nova realidade. “Basta lembrar a aquisição de patrulha mecanizada, com vários equipamentos destinados a dar suporte ao trabalho no campo, a exemplo de trator, retroescavadeiras, escavadeira hidráulica e outros equipamentos”, ressalta o secretário de Agricultura, Valdes Cavalheiro de Araújo. A patrulha mecanizada é fundamental para o trabalho de preparo da terra, o que permite ao produtor um aumento considerável da sua produção.

“Produzindo mais, precisamos também de estradas boas para escoar a produção. Temos investido nisso também. E, por fim, chega no mercado público, que é nossa Feira do Agricultor, onde os produtores rurais têm a valorização do seu trabalho, tendo a chance de um lucro maior através da venda direta para o consumidor, permitindo a troca de experiências e o estreitamento da relação de confiança entre ambos”, salienta o secretário. Essa relação de confiança entre vendedor e consumidor é a essência da feira, pessoas que se conhecem há décadas e fortalecem a economia local.

Agricultores contam mais de 20 e 30 anos de histórias na feira

Bons exemplos de um longo relacionamento com a Feira do Agricultor são os das famílias Rojahn e Schuck. A Edina e o Danilo Rojahn participam da feira já há 21 anos. Eles vendem embutidos, torresmo, banha, carnes, defumados e bacon. “Para feijoada, temos tudo! Nessa época do ano, de frio, vendemos mais esse tipo de produto”, destaca Edina. A família gosta de estar presente na feira e valoriza o contato direto com as pessoas. “É muito bom participar. É um meio que a gente tem de fazer a nossa produção e vender direto ao consumidor, sem atravessador. Clientes já me conhecem de longa data e vem comprar comigo aqui na feira”, enfatiza.

A família Dias, da empresa Sabor do Campo, também tem história na Feira do Agricultor. São 30 anos de feira. Eles produzem leite pasteurizado, queijo, iogurte, manteiga, nata, queschmier. A proprietária, Andreia Schuck Dias, também reconhece a importância deste local para o crescimento da empresa familiar. “A feira pra nós representa muito. Foi na feira que vimos que tínhamos possibilidade de aumentar o nosso negócio. Tanto que hoje produzimos quase exclusivamente para a feira, de onde tiramos o sustento da nossa família, sendo muito gratos por poder contar com este espaço”, conta Andreia. Foi também graças a feira que hoje a família possui uma agroindústria. “Foi devido ao aumento das vendas que buscamos a legalização. Fomos a primeira agroindústria de derivados de leite da cidade. Por isso que temos muito orgulho de participarmos da Feira do Agricultor e mais orgulho ainda de poder levar o nosso produto fresquinho, direto pro consumidor”, salienta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximo Post

Mais de 400 pessoas atendidas no mutirão de empregos de Campo Bom

A manhã de sábado (28) foi movimentada na Praça João Blos, em Campo Bom. Isso porque ocorreu um grande mutirão […]