Inglês nos anos iniciais da rede municipal completa um ano com avanços no ensino

Jornal Opinião

Todos os alunos da Rede Municipal de Educação de Sapiranga contam com a disciplina de inglês no currículo escolar. Desde o início do ano letivo de 2021, a matéria passou a ser ofertada também aos estudantes dos anos iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano), já que antes era destinada apenas aos alunos dos anos finais (6º ao 9º). Após um ano, a proposta da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Smed), já mostra grandes avanços na aprendizagem dos estudantes. 

Com contato de uma hora semanal com a língua inglesa, os alunos dos anos iniciais são estimulados a desenvolverem a fala até o final do Ensino Fundamental. Conforme a professora e supervisora pedagógica da Smed, Nathalia Sabina da Silva, estudos comprovam que quanto mais cedo os alunos forem colocados em contato com a língua inglesa, melhor eles aprendem. “Colocar o inglês nos anos iniciais foi uma grande conquista, principalmente para o aprendizado dos nossos alunos”, destaca. 

Este desenvolvimento possibilita uma melhora até mesmo em outras áreas da vida dos estudantes. Os alunos que possuem contato com uma segunda língua, ativam mais áreas cerebrais, exercitando e possibilitando a aprendizagem de diversos conteúdos. “Antes a gente percebia que quando o aluno iniciava no sexto ano somente, era pouco tempo para ele se apropriar do idioma”, complementa. 

MÉTODO DE ENSINO

Música, jogos, filmes, brincadeiras e vídeos diversos fazem parte do ensino lúdico de inglês aplicado pelos professores da rede municipal de ensino. Essa estratégia possibilita uma adesão maior dos alunos, despertando a vontade de aprender de forma alegre e descontraída. “A gente vê que eles não têm vergonha de falar, eles querem tentar”, destaca Nathalia. 

A professora de inglês, Graciela Ani Bessow, atua do 1º ao 9º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Waldemar Carlos Jaeger (Centenário). Ela buscou formas de aplicar o ensino com os alunos no início do ano passado, quando as aulas ainda aconteciam de forma online. “Eles estavam em casa, então eu comecei a gravar pequenos vídeos, forneci links para eles e mandava músicas e atividades que eles pudessem realizar com a família”, comenta.

Quando as aulas retornaram de forma presencial, ainda em 2021, os primeiros anos puderam ter um contato mais próximo com a professora e o aprendizado. Através de atividades orais, Graciela desenvolve em cada aula de uma hora, no mínimo três atividades diferentes, com o intuito de diversificar o ensino e deixar os alunos mais próximos. “Muitas vezes, os mais pequenos têm uma atenção mais curta, então eu procuro fazer algo que os mantenha atentos por mais tempo”, destaca.

RESULTADOS POSITIVOS

Atualmente, são 4.182 alunos da rede municipal de ensino que possuem o inglês na grade curricular, do 1 ao 9º ano, eles aprendem de formas diferentes o quanto o inglês é importante em todas as áreas da vida. “Eu sempre explico para eles da importância que o inglês vai ter para o futuro profissional deles. Principalmente no final, onde no nono ano, cada um vai delimitando sua área, vai vendo para onde vai ir”, comenta a professora Graciela. 

Essa importância para o futuro, na busca pela qualificação profissional, faz com que os alunos desde cedo criem uma determinação maior para aprender, desenvolvendo através daquilo que eles já conhecem, como séries, filmes e desenhos. Graciela destaca que o desenvolvimento dos alunos é muito positivo, principalmente observando os que já possuem as aulas desde o ano passado.

Vislumbrando o futuro, Graciela acredita que como eles possuem o inglês em grade curricular desde o primeiro ano, será possível formar estes alunos no nono ano, já falando o inglês como segunda língua. As habilidades individuais de cada aluno são despertadas a cada aula, através do incentivo e método de ensino dos professores envolvidos. “Com essa evolução que a gente teve no inglês, eu notei que o interesse dos alunos é muito maior. Eu vejo um conhecimento mais completo da língua”, finaliza Graciela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Próximo Post

Justiça do Trabalho gaúcha homologou mais de R$ 16,7 milhões em acordos na 6ª Semana Nacional da Conciliação Trabalhista

O Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS) homologou mais de R$ 16,7 milhões em acordos durante a 6ª […]