Prefeita Carina acende a chama do Fogo Simbólico em Sapiranga

Jornal Opinião

A manhã desta terça-feira, 17 de agosto, marcou o início da Semana da Pátria em Sapiranga, tradicionalmente comemorada de 1º a 7 de setembro, mas que em decorrência da pandemia de Covid-19 neste ano não terá o tradicional desfile cívico. A solenidade oficial do evento aconteceu no quartel do Corpo de Bombeiros de Sapiranga, no bairro São Jacó, com a presença da prefeita Carina Nath que recebeu a centelha do Fogo das mãos do diretor da Liga Nacional do Rio Grande do Sul, César Valmor Cordeiro.

 Carina desejou um bom dia a todos e destacou a representação do Fogo Simbólico durante esse período de pandemia de Covid-19. “O Fogo Simbólico é o símbolo que vai dar início as comemorações da Semana da Pátria. Uma Semana da Pátria que será diferente sem o desfile de 7 de Setembro devido à pandemia.” A prefeita destacou ainda que neste atual contexto de pandemia percebe-se a representação do Fogo Simbólico. “Este também é um momento que nos orgulharmos das pessoas que colocam suas vidas em prol de outras vidas. São médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, serviços gerais, todas as pessoas que trabalham no setor público e que ficam à disposição do próximo. É isso que a gente vê com o Fogo Simbólico, esse orgulho de fazer parte desta Pátria e de saber que temos pessoas boas neste País e que se importam com o outro.”

O Fogo deve ficar no Corpo de Bombeiros até 1º de setembro, quando será levado para a Prefeitura, onde, até 7 de setembro, ocorrem a guarda da chama e solenidades de hasteamento e arriamento diário da bandeira, às 8 horas e às 17h30. “Mesmo que não tenhamos o tradicional Desfile Cívico Escolar vamos poder exercer a nossa cidadania, aprender e colaborar com o outro mostrando à nossa Pátria que dentro das escolas estamos formando cidadãos”, finalizou a prefeita Carina.

Em seu pronunciamento, o diretor da Liga Nacional do Rio Grande do Sul, César Valmor Cordeiro, ressaltou a importância da corrida do Fogo Simbólico da Pátria. “Aqui estamos nós para construirmos uma sólida corrente cívica. E que cada um de nós seja um elo indestrutível dessa corrente, num esforço conjunto para que a chama que aqui reverenciamos se multiplique sobre a forma de milhares de centelhas que irão iluminar os corações dos governantes e dos integrantes dessas localidades.”

O evento teve ainda a participação da secretária municipal de Educação, Cláudia Kichler; do segundo sargento David Olkoski Antonio da Silva, que esteve representando o comandante do Pelotão de Bombeiros Militar, Mateus Bordignon Schoenell; diretores de escolas e demais presentes.

O FOGO

O Fogo Simbólico da Pátria, segundo histórico do Exército Brasileiro, surgiu em 1937, no Rio Grande do Sul, quando um grupo de patriotas procurava um símbolo que representasse o calor patriótico do povo brasileiro. Assim surgiu o símbolo que receberia a denominação de Fogo Simbólico da Pátria e que deveria percorrer todo o território nacional, em peregrinação cívica. A Liga da Defesa Nacional (LDN), criada por Olavo Bilac, se juntou aos idealizadores e criou a corrida do Fogo Simbólico da Pátria, evento realizado pela primeira vez em 1938, em um percurso de 26 quilômetros entre as cidades de Viamão e Porto Alegre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximo Post

Semana de Ciência e Tecnologia de Campo Bom inicia na segunda-feira

Com o objetivo de oportunizar aos estudantes e aos educadores um espaço para a valorização de práticas pedagógicas que estimulem […]